Liturgia Diária – 1 de junho

0
959

Memória de São Justino

São Justino, mártir (†c. 165 Roma). Denunciado por um de seus discípulos, esse Santo filósofo sofreu o martírio por amor a Cristo.

Leituras da Missa

Outros Santos em destaque

Santo Aníbal Maria di França – Santuário de Santo Antônio, Messina (Itália)

Santo Aníbal Maria Di Francia, presbítero (†1927). Fundador da Congregação dos Padres Rogacionistas do Coração de Jesus e a das Filhas do Divino Zelo, em Messina, Itália.

São Simeão de Siracusa, eremita (†1035). Depois de levar vida eremítica em Belém e no Monte Sinai, terminou seus dias recluso na torre da Porta Negra de Tréveris, Alemanha.

São José Túc, mártir (†1862). Camponês de 20 anos decapitado na cidade de Hung Yên, Vietnã, por
ter-se recusado a pisar sobre a Santa Cruz.

Beato João Batista Scalabrini, Bispo (†1905). Bispo de Piacenza, fundador dos Padres Scalabrinianos e das Irmãs Missionárias de São Carlos.

Beato Afonso Navarrete, presbítero, e companheiros, mártires (†1617 Omura – Japão). Sacerdote dominicano que foi martirizado com um padre da Ordem dos Eremitas de Santo Agostinho e um religioso da Companhia de Jesus por ordem do comandante supremo Hidetada.

Beato João Pelingotto (†1304). Terciário franciscano de Urbino, Itália. Retirou-se para viver numa cela, de onde só saía para atender os pobres e enfermos.

Ver todos os Santos deste dia no Martirológio Romano online

 

Leituras da Missa

Primeira leitura: Tb 2, 9-14

Eu, Tobit, na noite de Pentecostes, depois de ter sepultado um morto, 9tomei banho, entrei no pátio de minha casa e deitei-me junto à parede do pátio, deixando o rosto descoberto por causa do calor. 10Não sabia que, na parede, por cima de mim, havia pardais aninhados. Seu excremento quente caiu nos meus olhos e provocou manchas brancas. Fui procurar os médicos para me tratarem. Quanto mais remédios me aplicavam, mais meus olhos se obscureciam com as manchas, até que fiquei completamente cego. Durante quatro anos, estive privado da vista. Todos os meus irmãos se afligiram por minha causa. Aicar cuidou do meu sustento durante dois anos, até que partiu para Elimaida. 11Naquela ocasião, Ana, minha mulher, dedicou-se a trabalhos femininos, tecendo lã. 12Entregava o produto aos patrões e estes lhe pagavam o salário. No sétimo dia do mês de Distros, ela separou a peça de tecido que estava pronta e mandou-a aos patrões. Estes pagaram-lhe todo o salário e ainda lhe deram um cabrito para a mesa. 13Quando entrou em minha casa, o cabrito começou a balar. Chamei minha mulher e perguntei-lhe: “De onde vem este cabrito? Não terá sido roubado? Devolve-o a seus donos, pois não temos o direito de comer coisa alguma roubada”. 14Ela respondeu-me: “É um presente que me foi dado além do salário”. Mas não acreditei nela e insisti que o devolvesse aos patrões, ficando bastante contrariado por causa disso. Ela então replicou: “Onde estão as tuas esmolas? Onde estão as tuas obras de justiça? Vê-se bem em ti o que elas são!”

Salmo responsorial:  Sl 111(112), 1-2.7bc-8.9 (R. cf. 7c)
R. O coração do justo é firme e confiante no Senhor. Ou: Aleluia, Aleluia, Aleluia

1Feliz o homem que respeita o Senhor * e que ama com carinho a sua lei! 2Sua descendência será forte sobre a terra, * abençoada a geração dos homens retos! R.

7bEle não teme receber notícias más: * 7cconfiando em Deus, seu coração está seguro. 8Seu coração está tranqüilo e nada teme, * e confusos há de ver seus inimigos. R.

9Ele reparte com os pobres os seus bens, + permanece para sempre o bem que fez, * e crescerão a sua glória e seu poder. R.

Evangelho: Mc 12,13-17

Naquele tempo, 13as autoridades mandaram alguns fariseus e alguns partidários de Herodes para apanharem Jesus em alguma palavra. 14Quando chegaram, disseram a Jesus: “Mestre, sabemos que tu és verdadeiro e não dás preferência a ninguém. Com efeito, tu não olhas para as aparências do homem, mas ensinas, com verdade, o caminho de Deus. Dize-nos: é lícito ou não pagar o imposto a César? Devemos pagar ou não?” 15Jesus percebeu a hipocrisia deles e respondeu: “Por que me tentais? Trazei-me uma moeda para que eu a veja”. 16Eles levaram a moeda, e Jesus perguntou: “De quem é a figura e a inscrição que estão nessa moeda?” Eles responderam: “De César”. 17Então Jesus disse: “Dai, pois, a César o que é de César e a Deus o que é de Deus”. E eles ficaram admirados com Jesus.

 

Artigo anteriorLiturgia Diária – 31 de maio
Próximo artigoRevista Arautos do Evangelho, Ano XX, nº 234, Junho 2021
Artigos não assinados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui