Liturgia Diária – 21 de janeiro

0
149

Memória de Santa Inês

Santa Inês, virgem e mártir (†304?), memória obrigatória. Sofreu o martírio em Roma aos doze anos, no meio de terríveis tormentos.

Leituras da Missa

Outros Santos em destaque

Santo Epifânio, Bispo (†496). Durante as invasões bárbaras, trabalhou incansavelmente pela reconciliação dos povos, pela redenção dos cativos e pela reconstrução da cidade de Pavia, onde morreu.

Santo Albano Roe e Beato Tomás Green, presbíteros e mártires (†1642). Encarcerados por exercerem o ministério sacerdotal na Inglaterra, foram enforcados e esquartejados em Thyburn, Londres, após vários anos de prisão, no reinado de Carlos I.

São João Yi Yun-il, mártir (†1867). Pai de família e catequista que foi torturado e decapitado na Coreia.

Beatos Eduardo Stransham e Nicolau Wheeler, presbíteros e mártires (†1586). Decapitados em
Londres, Inglaterra, por serem sacerdotes.

Beato João Baptista Turpin du Cormier e treze companheiros, presbíteros e mártires (†1794). Guilhotinados durante a Revolução Francesa por sua firme fidelidade à Fé Católica.

Beata Josefa Maria de Santa Inês, virgem (†1696). Religiosa agostiniana descalça do convento de Benigànim, Espanha, favorecida com o dom do conselho.

Ver todos os Santos deste dia no Martirológio Romano online

Leituras da Missa

Primeira leitura: Hb 7, 25-8,6

Irmãos, 25Jesus é capaz de salvar para sempre aqueles que, por seu intermédio, se aproximam de Deus. Ele está sempre vivo para interceder por eles. 26Tal é precisamente o sumo sacerdote que nos convinha: santo, inocente, sem mancha, separado dos pecadores e elevado acima dos céus. 27Ele não precisa, como os sumos sacerdotes, oferecer sacrifícios em cada dia, primeiro por seus próprios pecados e depois pelos do povo. Ele já o fez uma vez por todas, oferecendo-se a si mesmo. 28A Lei, com efeito, constituiu sumos sacerdotes sujeitos à fraqueza, enquanto a palavra do juramento, que veio depois da Lei, constituiu alguém que é Filho, perfeito para sempre. 8,1O tema mais importante da nossa exposição é este: temos um sumo sacerdote tão grande, que se assentou à direita do trono da majestade, nos céus. 2Ele é ministro do santuário e da tenda verdadeira, armada pelo Senhor, e não por mão humana. 3Todo sumo sacerdote, com efeito, é constituído para oferecer dádivas e sacrifícios; portanto, é necessário que tenha algo a oferecer. 4Na verdade, se Cristo estivesse na terra, não seria nem mesmo sacerdote, pois já existem os que oferecem dádivas de acordo com a Lei. 5Estes celebram um culto que é cópia e sombra das realidades celestes, como foi dito a Moisés, quando estava para executar a construção da tenda: “Vê, faze tudo segundo o modelo que te foi mostrado sobre a montanha”. 6Agora, porém, Cristo possui um ministério superior. Pois ele é o mediador de uma aliança bem melhor, baseada em promessas melhores.

Salmo responsorial:  Sl 39(40),7,8a.8b-9.10-17 (R. cf 8a.9a)

R. Eis que venho fazer, com prazer,a vossa vontade, Senhor!

7Sacrifício e oblação não quisestes,* mas abristes, Senhor, meus ouvidos; não pedistes ofertas nem vítimas,+ holocaustos por nossos pecados,* 8aE então eu vos disse: ‘Eis que venho!’R.

8bSobre mim está escrito no livro: 9‘Com prazer faço a vossa vontade,* guardo em meu coração vossa lei!’R.

10Boas-novas de vossa justiça anunciei numa grande assembléia;* vós sabeis: não fechei os meus lábios!R.

17Mas se alegre e em vós rejubile* todo ser que vos busca, Senhor! Digam sempre: ‘É grande o Senhor!’* os que buscam em vós seu auxílio.R.

Evangelho: Mc 3,7-12

Naquele tempo, 7Jesus se retirou para a beira do mar junto com seus discípulos. Muita gente da Galileia o seguia. 8E também muita gente da Judeia, de Jerusalém, da Idumeia, do outro lado do Jordão, dos territórios de Tiro e Sidônia foi até Jesus, porque tinham ouvido falar de tudo o que ele fazia. 9Então Jesus pediu aos discípulos que lhe providenciassem uma barca, por causa da multidão, para que não o comprimisse. 10Com efeito, Jesus tinha curado muitas pessoas, e todos os que sofriam de algum mal jogavam-se sobre ele para tocá-lo. 11Vendo Jesus, os espíritos maus caíam a seus pés, gritando: “Tu és o Filho de Deus!” 12Mas Jesus ordenava severamente para não dizerem quem ele era.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui