O bem-aventurado São Francisco de Sales, verdadeiramente santíssimo servo de Deus, amado e seguríssimo guia de minha alma, precioso dom de meu Deus; meu verdadeiro pai, digo, meu dulcíssimo mestre e, agora, meu fiel advogado: considerai nossas necessidades e não permitais que o coração que Deus uniu ao vosso se desligue dele algum dia. Lembrai-vos de que me prometestes que esta união seria eterna; portanto, meu venerabilíssimo pai, fazei, por vossa santa intercessão, que eu seja tão fiel na observância do que me ensinastes, que chegue a essa soberana unidade da qual vós desfrutais tão gloriosamente, para poder convosco, em companhia da gloriosa Virgem e dos Santos, louvar, bendizer e amar eternamente o soberano Bem-Amado de nossas almas.

Peço-vos isso, não só para mim, mas para todos os filhos da Santa Igreja e, em particular, para as filhas da querida congregação por vós engendrada em Nosso Senhor, das quais vos lembráveis em vossas santas preces, durante vossa peregrinação. Meu santíssimo pai, vós conheceis os desejos de minha alma, não preciso vo-los manifestar. Sabeis o quanto vos venero. Ó meu pai, meu mestre e meu santo, vós vedes minhas lágrimas e meus sentimentos, bem como a perfeita confiança que quero ter em vossa santa proteção. Lembrai-vos de que meu Deus me deu a vós, e deu-vos a mim; rogo-vos, portanto: cuidai incessantemente de mim, para que eu cumpra perfeitamente a vontade de meu Deus sem reservas, sem reservas. Assim seja

Oração composta por Santa Joana de Chantal
pouco depois da morte de São Francisco de Sales

 

Na foto em destaque: São Francisco de Sales entrega as regras da Ordem da Visitação a Santa Joana de Chantal – Mosteiro da Visitação, Paris

 

Artigo anteriorRevista Arautos do Evangelho, Ano XXI, nº 241, Janeiro 2022
Artigo SeguinteArauto da Boa-Nova

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here