Dos incontáveis favores dispensados pela Divina Providência por intercessão de Dona Lucilia, desejo narrar aqui mais alguns, para que, vendo as suas boas obras, os homens glorifiquem a Deus.

 

E xtremamente dadivosa tem sido Dona Lucilia nas suas demonstrações de afeto e compaixão por aqueles que buscam seu auxílio. A tal ponto que, sendo esta nobre dama espelho da bondade e do amor de Maria, pode-se aplicar a ela as palavras de São Bernardo no Memorare: os que recorrem à sua proteção, imploram a sua assistência e reclamam o seu socorro não são desamparados.

Isso é o que se depreende dos inúmeros relatos que chegam até nós pelos mais diversos meios. E, a fim de não esconder debaixo do alqueire tão “luciliana” candeia, passo a narrar mais alguns dos incontáveis favores dispensados por Deus através desta sua bondosíssima filha. Desse modo os homens, vendo as suas boas obras, glorificarão o Pai Celeste (cf. Mt 5, 15-16)

“Para Deus nada é impossível!”

Diante de uma enfermidade misteriosa e aparentemente incurável, ocasionada por uma ferida, Dejair Eiterer, de Juiz Fora (MG), foi aconselhado a pedir o auxílio de Dona Lucilia, a fim de alcançar o restabelecimento de sua saúde:

“Fui em vários especialistas – dermatologista, reumatologista, angiologista, clínico geral… –, mas nenhum deles obteve sucesso. Foi um tempo muito difícil para mim. Tomava morfina de quatro em quatro horas e, mesmo assim, não sentia qualquer alívio.

“O médico responsável pelo meu caso disse que era impossível tomar morfina a cada quatro horas e ainda assim sentir dor. Por isso, conversando com sua equipe, todos concordaram que seria melhor amputar minhas pernas, visto que o tratamento não estava dando certo.

Tomava morfina de quatro em quatro horas e, mesmo assim, não sentia qualquer alívio

“No dia seguinte à terrível notícia, meu compadre, Expedito Afonso, levou um padre arauto para me fazer uma visita. Durante a conversa, este sacerdote afirmou: ‘O médico disse que teria que amputar, mas quem é o verdadeiro médico? É Deus! E para Deus nada é impossível!’

“Após ter dito isso, o padre abençoou-me e rezou comigo três Ave-Marias. Em seguida, retirou do bolso uma foto de Dona Lucilia, de quem eu nunca ouvira falar, e sugeriu que rezasse com fé uma Ave-Maria recorrendo à intercessão dela todos os dias”.

“Estava há quase um ano rezando muito e, naquele momento, uma certeza interior surgiu em todos ali presentes de que eu seria curado por intermédio de Dona Lucilia”.

“Tudo começou a mudar!”

Logo Dejair confirmou a certeza que levava em seu coração:

“A partir da visita tudo começou a mudar! No dia seguinte chegou o resultado de um exame que identificou qual era a bactéria causadora do problema e descobriu-se que eu estava há um mês tomando a medicação errada. Iniciei a medicação correta e dentro de uma semana a dor começou a aliviar. Teria que fazer outra raspagem, todavia o coágulo que havia em minha perna saiu na hora do curativo, não sendo necessário efetuar a raspagem. Além disso, não foi preciso realizar enxerto no local das feridas, que fecharam com a utilização de pomada.

“Após cinquenta e cinco dias internado, recebi alta. Como eu ainda não estava andando, saí na cadeira de rodas e o médico que havia dito que iria amputar minhas pernas ficou impressionado com a minha melhora.

A partir da visita tudo começou a mudar! No dia seguinte chegou o resultado de um exame que identificou qual era a bactéria causadora do problema

“No dia 21 de julho fui dirigindo à sede dos Arautos do Evangelho agradecer a graça alcançada. Eu, que estava em vista de perder as duas pernas e sofria com dores tremendas, já não sinto dor alguma. Desde o dia em que conheci Dona Lucilia não deixei de rezar, um dia sequer, uma Ave-Maria agradecendo-lhe e pedindo-lhe que continue a me proteger!”

Um pedido imediatamente atendido

Sérgio Matias, membro consagrado de Fanuel – Rosto de Deus e coordenador da presença missionária dessa comunidade na Arquidiocese de São Paulo, preocupado com o estado de saúde de seu pai, decidiu pedir o auxílio de Dona Lucilia e foi prontamente atendido:

“Havia uns quinze dias meu pai vinha sofrendo com um problema na garganta, como se fosse um caroço, algo que o impedia até de respirar de forma correta, pois causava falta de ar. Eu já o levara ao médico, que tinha diagnosticado uma faringite e passado o medicamento. Só que o tempo correu e esse quadro não melhorou. No dia 22 de abril deste ano, minha mãe me ligou e avisou que meu irmão o havia levado ao hospital, porque ele estava pior. Imediatamente entrei em contato com meu irmão por telefone – ele estava ainda no hospital com meu pai –, [e ele disse que] a médica que o examinara tinha pedido uma tomografia, porque havia uma grande suspeita de ser um tumor na região da traqueia.

“Isso me deixou muito triste, muito preocupado. Meu pai já tem setenta e quatro anos e, apesar de ser um homem ativo, estava com a saúde debilitada por causa de outros problemas. Fiz um contato com o fundador de nossa comunidade, o Sandro Peres, por meio do WhatsApp, e compartilhei com ele o que estava acontecendo. Pedi a intercessão, a oração dele naquele momento. Ele me disse: ‘Olha, hoje os Arautos celebram o aniversário natalício de Dona Lucilia; peça sua intercessão diante de uma fotografia dela’ Eu acessei o site dos Arautos do Evangelho e lá tinha uma fotografia de Dona Lucilia. E exatamente ao meio-dia, horário de Brasília, eu me coloquei diante da imagem e pedi que aquela valorosa senhora, de grande testemunho cristão e que com certeza estava junto da glória de Deus, pudesse interceder em favor da saúde do meu pai e que, ao sair o resultado da tomografia, não houvesse nada. Foi este o meu pedido: que não desse absolutamente nada.

“Hoje os Arautos celebram o aniversário natalício de Dona Lucilia; peça sua intercessão diante de uma fotografia dela”

“Depois dessa oração, fui até o hospital e aguardei ali o resultado da tomografia, que saiu por volta das dezesseis horas. A médica disse: ‘Olhe, seu pai não tem nada. Nem nos pulmões, muito menos na região da traqueia. Isso pode ser algo simples, de origem estomacal’. E no mesmo dia meu pai voltou para casa”.

“Pela intercessão de Dona Lucilia eu alcancei esta graça”

Agradecido pelo favor recebido, Sérgio Matias acrescenta:

“Eu estou dizendo isso porque nós temos fé, a fé que recebemos da Igreja, a fé nos Santos da Igreja, naqueles que foram elevados aos altares, mas também naqueles que em vida realizaram uma grande obra pelo Evangelho e morreram em estado de santidade. Estas pessoas com certeza estão junto a Deus e elas também têm um grande poder de intercessão.

Sérgio Matias, consagrado da Comunidade Fanuel – Rosto de Deus

“Por isso eu creio que, pela intercessão de Dona Lucilia, no dia 22 de abril o meu pai foi tocado e o que havia nele não existe mais, porque Deus, pela sua infinita misericórdia e em nome de Jesus, realizou uma obra na vida do meu pai. Temos ainda alguns exames para fazer, mas eu sei que pela intercessão dos Santos – e agora para mim, de forma muito particular, pela intercessão de Dona Lucilia – nada há de acontecer com o meu pai. Quero agradecer a todos aqueles que compartilharam comigo essa moção, ao nosso fundador, que é devoto de muitos Santos, que ama a obra do Dr. Plinio Corrêa de Oliveira e que me aconselhou a recorrer a esta venerável senhora, a qual morreu em odor de santidade e está junto da glória de Deus, porque pela sua intercessão eu alcancei esta graça”.

Súplica de um coração necessitado

Também Amauri Valentin, de Vila Velha (ES), após ter conhecimento da história de Dona Lucilia, recorreu à sua intercessão e obteve em pouco tempo a graça que havia alguns anos esperava alcançar:

“A minha família vinha passando por um momento delicado em questão de herança. Estava tendo muita briga e nós precisávamos tomar uma decisão importante, mas havia membros da família em desacordo com o passo que devíamos dar. Naquela noite eu rezei o Terço pedindo a intercessão de Dona Lucilia.

“No mesmo dia em que eu a conheci, tentei conversar com ela em meu pensamento: ‘A senhora, que é mãe, que é mulher também, entre no coração das minhas tias, que são mulheres, se entenda com elas e nos obtenha essa graça’. Então eu adormeci…

No mesmo dia em que eu a conheci, tentei conversar com ela em meu pensamento: “A senhora, que é mãe, que é mulher também, entre no coração das minhas tias”…

“Acordei por volta das nove horas da manhã e recebi um telefonema do meu tio dizendo que as minhas duas tias tinham aceitado dar o passo para nós solucionarmos esse problema que minha família vinha passando havia três ou quatro anos.

“Com uma oração do Terço, com a devoção a Dona Lucilia, eu consegui esta graça. Foi um pedido de coração, de um necessitado, e eu recebi. Desde então estou apaixonado, tanto por ela quanto pelo Plinio”.

*     *     *

Assim, da eternidade Dona Lucilia tem feito luzir de modo especial seu desvelo e maternal proteção a todos aqueles que a procuram, necessitados de um auxílio.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui