Dia 3 de novembro

0
107

Terça-feira da 31ª semana do Tempo Comum

Leituras da Missa

Santos em destaque

São Martinho de Porres, religioso. Nascido em Lima, Peru, em 1579, era de raça negra. Entrou na Ordem dominicana como irmão leigo e tomou para si as funções mais humildes e repugnantes. Foi dotado de extraordinários dons místicos como profecias, êxtases e bilocações. Faleceu em 1639.

São Pirminio – Igreja de São Martinho, Colmar (França)

São Pirmino, Bispo (†cerca de 755). Abade e Bispo de Reichenau, evangelizou os alamanos e os bávaros, fundou muitos mosteiros e escreveu para seus discípulos um livro sobre a catequese das pessoas incultas.

São Berardo, Bispo (†1130). Pertencente à nobre família dos condes de Marsi e Sangro, fez-se beneditino em Montecasino. Aos 30 anos, elevado à dignidade episcopal da diocese
de Marsi nos Abruzzos, Itália, lutou contra a simonia, dedicou-se à restauração da disciplina eclesiástica e protegeu os pobres.

Santo Ermengáudio ou Ermengol, Bispo (†1035). Um dos mais ilustres prelados que se dedicaram a restaurar o Cristianismo nas terras reconquistadas aos mouros na Catalunha, Espanha.

São Pedro Francisco Néron, presbítero e mártir (†1860). Sacerdote da Sociedade para as Missões Estrangeiras, diretor de um seminário no Vietnã, decapitado durante a perseguição do imperador Tu Duc.

São Joanício, monge (†846). Abandonou o exército imperial para viver como eremita no
Monte Olimpo e depois ingressou no mosteiro de Antidium, Turquia. Defendeu o culto das imagens e é autor de diversos ícones em honra da Virgem Maria.

Santa Sílvia (†séc. VI). Mãe do Papa São Gregório Magno. Abandonou o mundo para melhor dedicar-se à oração e à penitência.

Beata Alpáides, virgem (†1211). Camponesa que viveu recolhida numa pequena cela em Cudot, França, onde recebeu o dom de conselho e de fazer milagres.

Ver todos os Santos deste dia no Martirológio Romano online

Leituras da Missa

Primeira leitura: Fl 2,5-11

Irmãos, 5tende entre vós o mesmo sentimento que existe em Cristo Jesus. 6Jesus Cristo, existindo em condição divina, não fez do ser igual a Deus uma usurpação, 7mas ele esvaziou-se a si mesmo, assumindo a condição de escravo e tornando-se igual aos homens. Encontrado com aspecto humano, 8humilhou-se a si mesmo, fazendo-se obediente até a morte, e morte de cruz. 9Por isso, Deus o exaltou acima de tudo e lhe deu o nome que está acima de todo nome. 10Assim, ao nome de Jesus, todo joelho se dobre no céu, na terra e abaixo da terra 11e toda língua proclame: “Jesus Cristo é o Senhor”, para a glória de Deus Pai.

Salmo responsorial:  Sl 21(22),26b-27.28-30a.31-32 (R./26a)

R. Ó Senhor, sois meu louvor em meio à grande assembleia!

26bCumpro meus votos ante aqueles que vos temem! 27Vossos pobres vão comer e saciar-se, e os que procuram o Senhor o louvarão: “Seus corações tenham a vida para sempre!” R.

28Lembrem-se disso os confins de toda a terra, para que voltem ao Senhor e se convertam, e se prostrem, adorando, diante dele, todos os povos e as famílias das nações. 29Pois ao Senhor é que pertence a realeza; † ele domina sobre todas as nações. 30aSomente a ele adorarão os poderosos. R.

31Toda a minha descendência há de servi-lo; † às futuras gerações anunciará 32o poder e a justiça do Senhor; ao povo novo que há de vir, ela dirá: “Eis a obra que o Senhor realizou!” R.

Evangelho: Lc 14,15-24

Naquele tempo, 15um homem que estava à mesa disse a Jesus: “Feliz aquele que come o pão no Reino de Deus!” 16Jesus respondeu: “Um homem deu um grande banquete e convidou muitas pessoas. 17Na hora do banquete, mandou seu empregado dizer aos convidados: ‘Vinde, pois tudo está pronto’. 18Mas todos, um a um, começaram a dar desculpas. O primeiro disse: ‘Comprei um campo e preciso ir vê-lo. Peço-te que aceites minhas desculpas’. 19Um outro disse: ‘Comprei cinco juntas de bois e vou experimentá-las. Peço-te que aceites minhas desculpas’. 20Um terceiro disse: ‘Acabo de me casar e, por isso, não posso ir’. 21O empregado voltou e contou tudo ao patrão. Então o dono da casa ficou muito zangado e disse ao empregado: ‘Sai depressa pelas praças e ruas da cidade. Traze para cá os pobres, os aleijados, os cegos e os coxos’. 22O empregado disse: ‘Senhor, o que tu mandaste fazer foi feito e ainda há lugar’. 23O patrão disse ao empregado: ‘Sai pelas estradas e atalhos e obriga as pessoas a virem aqui, para que minha casa fique cheia. 24Pois eu vos digo, nenhum daqueles que foram convidados provará do meu banquete’”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui