Liturgia Diária – 22 de setembro

0
630

Quarta-feira da 25ª semana do Tempo Comum

Leituras da Missa

Santos em destaque

Santos Maurício e companheiros, Mártires, séc. III. São Maurício comandava a Legião Tebana, constituída por cristãos. Intimados a sacrificar aos ídolos, recusaram-se, e por isso foram todos mortos a fio de espada.

São Silvano de Levroux, eremita francês, séc. V.

Santa Salaberga, abadessa (cerca de 664). Quando criança, foi curada de cegueira por São Columbano que a encaminhou para o serviço de Deus. Foi abadessa do mosteiro de São João Batista de Laon (França).

Santo Emeramo de Ratisbona, Bispo (†690).

Santo Inácio de Santhia – Convento dei Capucini (Itália)

Santo Inácio de Santhià (Vercelli), sacerdote (†1770). Frade capuchinho, incansável em atender os pecadores no confessionário e em socorrer os pobres e doentes.

Beato Otão, Bispo (†1158). Religioso cisterciense que nunca deixou de usar o hábito monacal, mesmo depois de eleito bispo de Freising, Alemanha. Adotou a reforma gregoriana.

Beato José Marchandon, presbítero e mártir (†1794). Pároco de Marsac, França, preso durante a Revolução Francesa numa embarcação em Rochefort, onde adoeceu e morreu de fome.

Beato Vicente Sicluna Hernández, presbítero e mártir (†1936). Zeloso sacerdote da cidade de Navarrés, que não quis abandonar os fiéis durante as perseguições da Guerra Civil Espanhola.

Beata Maria da Purificação Vidal Pastor, virgem e mártir (†1936). Católica fervorosa, sobressaía-se pelo cuidado aos enfermos e assiduidade nas cerimônias religiosas. Durante as perseguições da Guerra Civil Espanhola, foi presa, assassinada na estrada de Corbera, Valência, e sepultada quando ainda agonizava.

Ver todos os Santos deste dia no Martirológio Romano online

Leituras da Missa

Primeira leitura: Esd 9, 5-9

5Na hora da oblação da tarde, eu, Esdras, levantei-me da minha prostração. E, com as vestes e o manto rasgados, caí de joelhos, estendi as mãos para o Senhor, meu Deus. 6E disse: “Meu Deus, estou coberto de vergonha e confusão ao levantar a minha face para ti, porque nossas iniquidades multiplicaram-se acima de nossas cabeças e nossas faltas se acumularam até o céu. 7Desde os tempos de nossos pais até este dia, uma grande culpa pesa sobre nós: por causa de nossas iniquidades, nós, nossos reis e nossos sacerdotes, fomos entregues às mãos dos reis estrangeiros, à espada, ao cativeiro, à pilhagem e à vergonha, como acontece ainda hoje. 8Mas agora, por um breve instante, o Senhor nosso Deus concedeu-nos a graça de preservar dentre nós um resto e de permitir que nos fixemos em seu lugar santo. Assim o nosso Deus deu brilho aos nossos olhos e concedeu-nos um pouco de vida no meio de nossa servidão. 9Pois éramos escravos, mas em nossa servidão o nosso Deus não nos abandonou. Antes, conseguiu para nós o favor dos reis da Pérsia, deu-nos bastante vida para podermos reconstruir o templo do nosso Deus e restaurar suas ruínas, e concedeu-nos um abrigo seguro em Judá e em Jerusalém”.

Salmo responsorial: Cânt. Tb 13,2.3-4.5.8 (R. 2a)
R. Bendito seja Deus que vive eternamente!

2Vós sois grande, Senhor, para sempre, *e vosso reino se estende nos séculos! Porque vós castigais e salvais, *fazeis descer aos abismos da terra, e de lá nos trazeis novamente: *de vossa mão nada pode escapar. R.

3Vós que sois de Israel, dai-lhe graças *e por entre as nações celebrai-o! O Senhor dispersou-vos na terra *4apara narrardes sua glória entre os povos, R.

4bE fazê-los saber, para sempre, *4cque não há outro Deus além dele. R.

5Castigou-nos por nossos pecados, *seu amor haverá de salvar-nos. Compreendei o que fez para nós, *dai-lhe graças, com todo o respeito! R.

8Bendizei o Senhor, seus eleitos, *fazei festa e alegres louvai-o! R.

Evangelho: Lc 9, 1-6

Naquele tempo, 1Jesus convocou os Doze, deu-lhes poder e autoridade sobre todos os demônios e para curar doenças 2e enviou-os a proclamar o Reino de Deus e a curar os enfermos. 3E disse-lhes: “Não leveis nada para o caminho: nem cajado, nem sacola, nem pão, nem dinheiro, nem mesmo duas túnicas. 4Em qualquer casa onde entrardes, ficai aí; e daí é que partireis de novo. 5Todos aqueles que não vos acolherem, ao sairdes daquela cidade, sacudi a poeira dos vossos pés como protesto contra eles”. 6Os discípulos partiram e percorriam os povoados, anunciando a Boa-nova e fazendo curas em todos os lugares.

Artigo anteriorLiturgia Diária – 21 de setembro
Próximo artigoLiturgia Diária – 23 de setembro
Artigos não assinados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui