Liturgia Diária – 20 de julho

0
394

Terça-feira da 16ª semana do Tempo Comum

Leituras da Missa

Santos em destaque

Profeta Elias – Basílica de Nossa Senhora do Carmo, São Paulo – Foto: Timothy Ring

Santo Elias Tesbita, profeta (†c. séc. IX a.C). Profeta do Senhor durante o reinado de Acab. Um dos maiores do Antigo Testamento, lutou contra a corrupção e a idolatria através de portentosos milagres. Censurou ao Povo Eleito por sua idolatria e desafiou os sacerdotes de Baal, em nome do único Deus verdadeiro. Foi arrebatado num carro de fogo. É considerado o fundador da Ordem Carmelita.

Santo Apolinário, Bispo e mártir (†c. séc. II). Primeiro evangelizador da região da Emilia-Romanha, da qual é padroeiro. Foi incansável propagador da fé de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Santo Aurélio de Cartago, Bispo (†c. 430). Íntimo amigo de Santo Agostinho. Eleito bispo de Cartago, preservou sua grei dos costumes pagãos.

São José María Díaz Sanjurjo, Bispo e mártir (†1857). Dominicano espanhol, eleito Bispo do Tonkín Oriental, Vietnã. Morreu decapitado durante a perseguição ordenada pelo imperador Tu Dúc.

São Vulmaro, presbítero (†c. 700). Religioso beneditino da abadia de Hautmont, levou durante um tempo vida eremítica e fundou, posteriormente, dois mosteiros no norte da França.

São Paulo de Córdoba, diácono e mártir (†851). Morto por haver confessado sua fé em Cristo perante as autoridades sarracenas.

São José Barsabas, discípulo de Jesus. Designado pelos Apóstolos, junto com São Matias, para ocupar o lugar de Judas.

Santa Marina ou Margarida, virgem e mártir (†séc. inc.). Morta sob terríveis torturas por ordem do governador de Antioquia.

Beatas Rita da Virgem Dolorosa do Coração de Jesus e Francisca do Coração de Jesus, virgens e mártires (†1936). Religiosas da Congregação das Irmãs da Caridade do Sagrado Coração de Jesus, fuziladas durante a guerra civil espanhola.

Ver todos os Santos deste dia no Martirológio Romano online

Leituras da Missa

Primeira leitura: Ex 14,21-15,1

Naqueles dias: 21Moisés estendeu a mão sobre o mar, e durante toda a noite o Senhor fez soprar sobre o mar um vento leste muito forte; e as águas se dividiram. 22Então, os filhos de Israel entraram pelo meio do mar a pé enxuto, enquanto as águas formavam como que uma muralha
à direita e à esquerda. 23Os egípcios puseram-se a perseguí-los, e todos os cavalos do Faraó, carros e cavaleiros os seguiram mar adentro. 24Ora, de madrugada, o Senhor lançou um olhar, desde a coluna de fogo e da nuvem, sobre as tropas egípcias e as pôs em pânico. 25Bloqueou as rodas dos seus carros, de modo que só a muito custo podiam avançar. Disseram, então, os egípcios: ‘Fujamos de Israel! Pois o Senhor combate a favor deles, contra nós’. 26O Senhor disse a Moisés: ‘Estende a mão sobre o mar, para que as águas se voltem contra os egípcios, seus carros e cavaleiros’. 27Moisés estendeu a mão sobre o mar e, ao romper da manhã, o mar voltou ao seu leito normal, enquanto os egípcios, em fuga, corriam ao encontro das águas, e o Senhor os mergulhou no meio das ondas. 28As águas voltaram e cobriram carros, cavaleiros e todo o exército do Faraó, que tinha entrado no mar em perseguição de Israel. Não escapou um só. 29Os filhos de Israel, ao contrário, tinham passado a pé enxuto pelo meio do mar, cujas águas lhes formavam uma muralha à direita e à esquerda. 30Naquele dia, o Senhor livrou Israel da mão dos egípcios, e Israel viu os egípcios mortos nas praias do mar, 31e a mão poderosa do Senhor agir contra eles. O povo temeu o Senhor, e teve fé no Senhor e em Moisés, seu servo. 15,1Então, Moisés e os filhos de Israel cantaram ao Senhor este cântico.

Salmo responsorial:  Ex 15,8-9.10 e 12.17 (R. 1a)

R. Ao Senhor quero cantar, pois fez brilhar a sua glória!

8Ao soprar a vossa ira amontoaram-se as águas, + levantaram-se as ondas e formaram uma muralha, * e imóveis se fizeram, em meio ao mar, as grandes vagas. R.

9O inimigo tinha dito: ‘Hei de segui-los e alcançá-los! + Repartirei os seus despojos e minh’alma saciarei; * arrancarei da minha espada e minha mão os matará!’ R.

10Mas soprou o vosso vento, e o mar os recobriu; * afundaram como chumbo entre as águas agitadas. 12Estendestes vossa mão, e a terra os devorou; + R.

17Vós, Senhor, o levareis e o plantareis em vosso Monte, * no lugar que preparastes para a vossa habitação, no Santuário construído pelas vossas próprias mãos. R.

Evangelho: Mt 12,46-50

Naquele tempo: 46Enquanto Jesus estava falando às multidões, sua mãe e seus irmãos ficaram do lado de fora, procurando falar com ele. 47Alguém disse a Jesus: ‘Olha! Tua mãe e teus irmãos estão aí fora, e querem falar contigo.’ 48Jesus perguntou àquele que tinha falado: ‘Quem é minha mãe, e quem são meus irmãos?’ 49E, estendendo a mão para os discípulos, Jesus disse: ‘Eis minha mãe e meus irmãos. 50Pois todo aquele que faz a vontade do meu Pai, que está nos céus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe.’

Artigo anteriorLiturgia Diária – 19 de julho
Próximo artigoLiturgia Diária – 21 de julho
Artigos não assinados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui