Domingo da 18ª semana do Tempo Comum

Comentário ao Evangelho, por Mons. João Scognamiglio Clá Dias, EP

Leituras da Missa

Santos em destaque

São Pedro Julião Eymard

São Pedro Julião Eymard, presbítero (†1868 La Mure – França). Nasceu em 1811, num povoado perto de Grénoble, França. Trabalhando como operário até os 18 anos, estudava com um sacerdote nas horas vagas. Em 1831 entrou para o Seminário de Grénoble e  foi ordenado apenas três anos mais tarde. O centro de sua vida espiritual sempre foi a devoção ao Santíssimo Sacramento. Fundou o Instituto dos Sacerdotes Adoradores do Santíssimo Sacramento, mais conhecidos por Sacramentinos. Ver: Apóstolo da Eucaristia

Santo Eusébio de Vercelli, Bispo (†371 Vercelli – Itália). Iniciador da vida comum do clero diocesano no Ocidente. Perseguido pelos arianos, foi exilado na Sardenha. Como primeiro bispo de Vercelli, consolidou a Igreja em toda a região piemontesa.

São Sereno, Bispo (†d. 601). Deu hospitalidade em sua diocese de Marselha, França, a Santo Agostinho de Cantuária e seus companheiros, enviados por São Gregório Magno para evangelizar a Inglaterra.

São Pedro de Osma, Bispo (†1109). Monge de Cluny enviado à Espanha com outros companheiros, a pedido do rei Afonso VI. Foi arcediago de Toledo e depois Bispo de Osma.

Santo Estêvão I, Papa (†257). Para afirmar com clareza que a união batismal com Cristo acontece uma só vez, proibiu que aqueles que quisessem voltar à plena comunhão com a Igreja recebessem o Sacramento pela segunda vez.

Beata Joana de Aza (†séc. XIII). Mãe de São Domingos de Gusmão, a quem conduziu desde a infância rumo à virtude.

Beato Francisco Calvo Burillo, presbítero e mártir (†1936). Dominicano fuzilado no povoado de Híjar, Espanha.

Beato Justino María Russolillo, presbítero (†1955). Sacerdote da Diocese de Nápoles e fundador da Sociedade das Divinas
Vocações.

Ver todos os Santos deste dia no Martirológio Romano online

Leituras da Missa

Primeira leitura: Is 55,1-3

Assim diz o Senhor: 1“Ó vós todos que estais com sede, vinde às águas; vós que não tendes dinheiro, apressai-vos, vinde e comei, vinde comprar sem dinheiro, tomar vinho e leite sem nenhuma paga. 2Por que gastar dinheiro com outra coisa que não o pão, desperdiçar o salário senão com satisfação completa? Ouvi-me com atenção e alimentai-vos bem, para deleite e revigoramento do vosso corpo. 3Inclinai vosso ouvido e vinde a mim, ouvi e tereis vida; farei convosco um pacto eterno, manterei fielmente as graças concedidas a Davi”.

Salmo responsorial: Sl 144(145)

Vós abris a vossa mão e saciais os vossos filhos.

8Misericórdia e piedade é o Senhor,*
ele é amor, é paciência, é compaixão.

9O Senhor é muito bom para com todos,*
sua ternura abraça toda criatura. R.

15Todos os olhos, ó Senhor, em vós esperam *
e vós lhes dais no tempo certo o alimento;

16vós abris a vossa mão prodigamente *
e saciais todo ser vivo com fartura. R.

17É justo o Senhor em seus caminhos,*
é santo em toda obra que ele faz.

18Ele está perto da pessoa que o invoca,*
de todo aquele que o invoca lealmente. R.

Segunda leitura: Rm 8,35.37-39

Irmãos, 35quem nos separará do amor de Cristo? Tribulação? Angústia? Perseguição? Fome? Nudez? Perigo? Espada? 37Em tudo isso, somos mais que vencedores, graças àquele que nos amou! 38Tenho a certeza de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os poderes celestiais, nem o presente, nem o futuro, nem as forças cósmicas, 39nem a altura, nem a profundeza, nem outra criatura qualquer será capaz de nos separar do amor de Deus por nós, manifestado em Cristo Jesus, nosso Senhor.

Evangelho: Mt 14,13-21

Naquele tempo, 13quando soube da morte de João Batista, Jesus partiu e foi de barco para um lugar deserto e afastado. Mas, quando as multidões souberam disso, saíram das cidades e o seguiram a pé. 14Ao sair do barco, Jesus viu uma grande multidão. Encheu-se de compaixão por eles e curou os que estavam doentes. 15Ao entardecer, os discípulos aproximaram-se de Jesus e disseram: “Este lugar é deserto e a hora já está adiantada. Despede as multidões, para que possam ir aos povoados comprar comida!” 16Jesus, porém, lhes disse: “Eles não precisam ir embora. Dai-lhes vós mesmos de comer!” 17Os discípulos responderam: “Só temos aqui cinco pães e dois peixes”. 18Jesus disse: “Trazei-os aqui”. 19Jesus mandou que as multidões se sentassem na grama. Então pegou os cinco pães e os dois peixes, ergueu os olhos para o céu e pronunciou a bênção. Em seguida partiu os pães e os deu aos discípulos. Os discípulos os distribuíram às multidões. 20Todos comeram e ficaram satisfeitos, e, dos pedaços que sobraram, recolheram ainda doze cestos cheios. 21E os que haviam comido eram mais ou menos cinco mil homens, sem contar mulheres e crianças.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui