Dia 16 de setembro

0
45

Memória de São Cornélio e São Cipriano

São Cornélio, papa (+253) e São Cipriano, bispo (+258). Mártires. Memória obrigatória. São Cornélio lutou pela unidade da Igreja. São Cipriano, bispo de Cartago, grande orador e mestre de moral, dedicou-se a organizar a Igreja na África.

Leituras da Missa

Outros Santos em destaque

São Niniano de Galloway, Bispo (†cerca de 432). De origem britânica, levou o povo dos pictos, no sul da Escócia, a abraçara Fé, tornando-se primeiro bispo de Galloway.

São Vital, abade (†1122). Renunciou aos encargos terrenos e fundou um mosteiro em Savigny, França, onde reuniu numerosos discípulos.

São Martinho de Finojosa, Bispo e abade (†1213). Abade do mosteiro cisterciense de Santa Maria de Huerta, Espanha, foi ordenado Bispo de Sigüenza, onde se esforçou em reformar o clero.

São João Macias, religioso (†1645). Irmão leigo no convento dominicano de Lima (Peru), distinguiu-se pela sua piedade e caridade. Promoveu obras assistenciais que se estenderam por outros países latino-americanos.

Santa Eufêmia – Museu Palazzo Bianco, Genova (Itália)

Santa Eufêmia, virgem e mártir (†c. 303). Suportou cruéis suplícios até a morte, em Calcedônia, atual Turquia.

Santa Edith, virgem (†984). Educada no mosteiro de Wilton, Inglaterra, onde decidiu abraçar a vida religiosa. Destacou-se por sua humildade e abnegação, chegando a recusar várias vezes o cargo de abadessa.

Santa Ludmila, mártir (†921). Duquesa da Boêmia, batizada por São Metódio. Dedicou-se às obras de caridade, edificação de igrejas e propagação da Fé. Quando se encarregou da educação de seu neto, São Venceslau, Santa Ludmila foi assassinada por ordem de sua nora.

Ver todos os Santos deste dia no Martirológio Romano online

Leituras da Missa

Primeira leitura: 1 Cor 12,31-13,13

Irmãos, 31aspirai aos dons mais elevados. Eu vou ainda mostrar-vos um caminho incomparavelmente superior. 13,1Se eu falasse todas as línguas, as dos homens e as dos anjos, mas não tivesse caridade, eu seria como um bronze que soa ou um címbalo que retine. 2Se eu tivesse o dom da profecia, se conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, se tivesse toda a fé, a ponto de transportar montanhas, mas se não tivesse caridade, eu não seria nada. 3Se eu gastasse todos os meus bens para sustento dos pobres, se entregasse o meu corpo às chamas, mas não tivesse caridade, isso de nada me serviria. 4A caridade é paciente, é benigna; não é invejosa, não é vaidosa, não se ensoberbece; 5não faz nada de inconveniente, não é interesseira, não se encoleriza, não guarda rancor; 6não se alegra com a iniquidade, mas regozija-se com a verdade. 7Suporta tudo, crê tudo, espera tudo, desculpa tudo. 8A caridade não acabará nunca. As profecias desaparecerão, as línguas cessarão, a ciência desaparecerá. 9Com efeito, o nosso conhecimento é limitado e a nossa profecia é imperfeita. 10Mas, quando vier o que é perfeito, desaparecerá o que é imperfeito. 11Quando eu era criança, falava como criança, pensava como criança, raciocinava como criança. Quando me tornei adulto, rejeitei o que era próprio de criança. 12Agora nós vemos num espelho, confusamente, mas, então, veremos face a face. Agora, conheço apenas de modo imperfeito, mas, então, conhecerei como sou conhecido. 13Atualmente permanecem estas três coisas: fé, esperança, caridade. Mas a maior delas é a caridade.

Salmo responsorial:  Sl 32 (33),2-3. 4-5. 12.22 (12b)

R. Feliz o povo que o Senhor escolheu por sua herança!

2Dai graças ao Senhor ao som da harpa, * na lira de dez cordas celebrai-o! 3Cantai para o Senhor um canto novo, * com arte sustentai a louvação! R.

4Pois reta é a palavra do Senhor, * e tudo o que ele faz merece fé. 5Deus ama o direito e a justiça, * transborda em toda a terra a sua graça. R.

12Feliz o povo cujo Deus é o Senhor, * e a nação que escolheu por sua herança! 22Sobre nós venha, Senhor, a vossa graça, da mesma forma que em vós nós esperamos! R.

Evangelho: Lc 7,31-35

Naquele tempo, disse Jesus: 31“Com quem hei de comparar os homens desta geração? Com quem eles se parecem? 32São como crianças que se sentam nas praças, se dirigem aos colegas, dizendo: ‘Tocamos flauta para vós e não dançastes; fizemos lamentações e não chorastes!’ 33Pois veio João Batista, que não comia pão nem bebia vinho, e vós dissestes: ‘Ele está com um demônio!’ 34Veio o Filho do Homem, que come e bebe, e vós dizeis: ‘Ele é um comilão e beberrão, amigo dos publicanos e dos pecadores!’ 35Mas a sabedoria foi justificada por todos os seus filhos”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui