Domingo da 33ª semana do Tempo Comum

 

Comentário ao Evangelho, por Mons. João Scognamiglio Clá Dias, EP

Leituras da Missa

 

Santos em destaque

Santo Alberto Magno, Bispo e doutor da Igreja. Dominicano, nascido em 1206 na Baviera. Foi professor do grande São Tomás de Aquino.

São José Pignatélli, sacerdote (†1811). Foi um dos restauradores da Companhia de Jesus na Espanha, após a supressão em 1773. Insigne pela caridade, humildade e integridade de costumes.

São Leopoldo (†1136). Príncipe austríaco cognominado “o Piedoso”. É venerado como Patrono da Áustria.

São Rafael de São José Kalinowski, presbítero (†1907). Recuperada a liberdade após muitos anos de trabalhos forçados na Sibéria, ingressou na Ordem Carmelita em Wadowice, Polônia.

São Desidério, Bispo (†655). Construiu muitas igrejas, mosteiros e edifícios de utilidade pública na sua Diocese de Cahors, França, não descuidando, entretanto, de tornar as almas verdadeiros templos de Cristo.

São José Mikasa Balikuddembé, mártir (†1885). Prefeito do palácio real em Mengo, Uganda. Após
receber o batismo, converteu muitos jovens a Cristo e os protegeu do rei Mwenga. Por este motivo, aos 25 anos, foi degolado por ordem real.

Beata Lúcia Broccadelli, religiosa (†1544). Tanto na vida matrimonial quanto na Ordem Terceira de São Domingos, teve de suportar com paciência muitos sofrimentos e humilhações. Morreu no mosteiro por ela fundado em Ferrara, Itália.

Beata Maria da Paixão de Chappotin de Neuville, virgem (†1904). Fundou a Congregação das Irmãs Franciscanas Missionárias, empenhada especialmente em melhorar as condições da mulher em terras de missão.

Ver todos os Santos deste dia no Martirológio Romano online

Leituras da Missa

Primeira leitura: Pr 31,10-13.19-20.30-31

10Uma mulher forte, quem a encontrará? Ela vale muito mais do que as joias. 11Seu marido confia nela plenamente e não terá falta de recursos. 12Ela lhe dá só alegria e nenhum desgosto, todos os dias de sua vida. 13Procura lã e linho, e com habilidade trabalham as suas mãos. 19Estende a mão para a roca, e seus dedos seguram o fuso. 20Abre suas mãos ao necessitado e estende suas mãos ao pobre. 30O encanto é enganador e a beleza é passageira; a mulher que teme ao Senhor, essa, sim, merece louvor. 31Proclamem o êxito de suas mãos, e na praça louvem-na as suas obras!

Salmo responsorial: 127(128), 1-2.3.4-5ab (R/. cf. 1a)

R. Felizes os que temem o Senhor e trilham seus caminhos!

1. Feliz és tu se temes o Senhor e trilhas seus caminhos! 2.Do trabalho de tuas mãos hás de viver, serás feliz, tudo irá bem! R.

3.A tua esposa é uma videira bem fecunda no coração da tua casa; os teus filhos são rebentos de oliveira ao redor de tua mesa. R.

4.Será assim abençoado todo homem que teme o Senhor. 5.O Senhor te abençoe de Sião cada dia de tua vida. R.

Segunda leitura: 1 Ts 5,1-6

1Quanto ao tempo e à hora, meus irmãos, não há por que vos escrever. 2Vós mesmos sabeis perfeitamente que o dia do Senhor virá como ladrão, de noite. 3Quando as pessoas disserem: “Paz e segurança!”, então de repente sobrevirá a destruição, como as dores de parto sobre a mulher grávida. E não poderão escapar. 4Mas vós, meus irmãos, não estais nas trevas, de modo que esse dia vos surpreenda como um ladrão. 5Todos vós sois filhos da luz e filhos do dia. Não somos da noite nem das trevas. 6Portanto, não durmamos, como os outros, mas sejamos vigilantes e sóbrios.

Evangelho: Mt 25,14-30 ou 25,14-15.19-21

[Naquele tempo, Jesus contou esta parábola a seus discípulos: 14“Um homem ia viajar para o estrangeiro. Chamou seus empregados e lhes entregou seus bens. 15A um deu cinco talentos, a outro deu dois e ao terceiro, um; a cada qual de acordo com a sua capacidade. Em seguida viajou.] 16O empregado que havia recebido cinco talentos saiu logo, trabalhou com eles e lucrou outros cinco. 17Do mesmo modo, o que havia recebido dois lucrou outros dois. 18Mas aquele que havia recebido um só saiu, cavou um buraco na terra e escondeu o dinheiro do seu patrão. [19Depois de muito tempo, o patrão voltou e foi acertar contas com os empregados. 20O empregado que havia recebido cinco talentos entregou-lhe mais cinco, dizendo: ‘Senhor, tu me entregaste cinco talentos. Aqui estão mais cinco que lucrei’. 21O patrão lhe disse: ‘Muito bem, servo bom e fiel! Como foste fiel na administração de tão pouco, eu te confiarei muito mais. Vem participar da minha alegria!’] 22Chegou também o que havia recebido dois talentos e disse: ‘Senhor, tu me entregaste dois talentos. Aqui estão mais dois que lucrei’. 23O patrão lhe disse: ‘Muito bem, servo bom e fiel! Como foste fiel na administração de tão pouco, eu te confiarei muito mais. Vem participar da minha alegria!’ 24Por fim, chegou aquele que havia recebido um talento e disse: ‘Senhor, sei que és um homem severo, pois colhes onde não plantaste e ceifas onde não semeaste. 25Por isso fiquei com medo e escondi o teu talento no chão. Aqui tens o que te pertence’. 26O patrão lhe respondeu: ‘Servo mau e preguiçoso! Tu sabias que eu colho onde não plantei e ceifo onde não semeei? 27Então devias ter depositado meu dinheiro no banco, para que, ao voltar, eu recebesse com juros o que me pertence’. 28Em seguida, o patrão ordenou: ‘Tirai dele o talento e dai-o àquele que tem dez! 29Porque a todo aquele que tem será dado mais, e terá em abundância, mas daquele que não tem, até o que tem lhe será tirado. 30Quanto a este servo inútil, jogai-o lá fora, na escuridão. Aí haverá choro e ranger de dentes!’”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui