Dia 13 de junho

0
814

Santos em destaque

Santo Antônio de Pádua e o milagre da mula – Convento Mãe de Deus, Lisboa

Santo Antônio de Pádua, presbítero e Doutor da Igreja (†1231 Pádua – Itália). Combateu com heroica resolução os albigenses sendo, por isso, conhecido como “o martelo dos hereges”. Nasceu em Lisboa e exerceu seu apostolado em Pádua, onde faleceu.

São Fândila, presbítero e monge (†853). Decapitado em Córdoba, Espanha, no tempo do rei Mohamed I.

Santo Eulógio, Bispo (†c. 607). Patriarca de Alexandria, combateu vigorosamente as heresias de seu tempo, sobretudo o monofisismo.

São Ramberto, mártir (†680). Cavaleiro da alta nobreza, encarcerado e assassinado nas proximidades de Lyon por ordem de Ebroíno, mestre do palácio do rei da Nêustria.

Santos Agostinho Phan Viet Huy e Nicolau Bui Viet The, mártires (†1839). Militares do exército vietnamita, executados pelo “crime” de serem cristãos.

Beato Gerardo (†1138). Irmão de São Bernardo e monge, como ele, em Claraval, França. Brilhou por sua grande  inteligência e discernimento espiritual, apesar da escassa cultura que possuía.

Beata Maria Ana Biernacka, mãe de família e mártir (†1943). Ofereceu-se para ser presa, substituindo
sua nora Ana que estava para dar à luz. Foi fuzilada em Naumowicze, Polônia.

Ver todos os Santos deste dia no Martirológio Romano online

Leituras da Missa

Primeira leitura: Ez 17,22-24

22Assim diz o Senhor Deus: ‘Eu mesmo tirarei um galho da copa do cedro, do mais alto de seus ramos arrancarei um broto e o plantarei sobre um monte alto e elevado. 23Vou plantá-lo sobre o alto monte de Israel. Ele produzirá folhagem, dará frutos e se tornará um cedro majestoso. Debaixo dele pousarão todos os pássaros, à sombra de sua ramagem as aves farão ninhos. 24E todas as árvores do campo saberão que eu sou o Senhor, que abaixo a árvore alta e elevo a árvore baixa; faço secar a árvore verde e brotar a árvore seca. Eu, o Senhor, digo e faço’.

Salmo responsorial: Sl 91(92),2-3.13-14.15-16 (R. cf. 2a)

R. Como é bom agradecermos ao Senhor.

2Como é bom agradecermos ao Senhor* e cantar salmos de louvor ao Deus Altíssimo! 3Anunciar pela manhã vossa bondade,* e o vosso amor fiel, a noite inteira. R.

13O justo crescerá como a palmeira,* florirá igual ao cedro que há no Líbano; 14na casa do Senhor estão plantados,* nos átrios de meu Deus florescerão. R.

15Mesmo no tempo da velhice darão frutos,* cheios de seiva e de folhas verdejantes; 16e dirão: ‘É justo mesmo o Senhor Deus:* meu Rochedo, não existe nele o mal!’ R.

Segunda leitura: 2 Cor 5,6-10

Irmãos: 6Estamos sempre cheios de confiança e bem lembrados de que, enquanto moramos no corpo, somos peregrinos longe do Senhor; 7pois caminhamos na fé e não na visão clara. Mas estamos cheios de confiança e preferimos deixar a moradia do nosso corpo, para ir morar junto do Senhor. 9Por isso, também nos empenhamos em ser agradáveis a ele, quer estejamos no corpo, quer já tenhamos deixado essa morada. 10Aliás, todos nós temos de comparecer às claras perante o tribunal de Cristo, para cada um receber a devida recompensa – prêmio ou castigo – do que tiver feito ao longo de sua vida corporal.

Evangelho: Mt 4,26-34

Naquele tempo: 26Jesus disse à multidão: ‘O Reino de Deus é como quando alguém espalha a semente na terra. 27Ele vai dormir e acorda, noite e dia, e a semente vai germinando e crescendo, mas ele não sabe como isso acontece. 28A terra, por si mesma, produz o fruto: primeiro aparecem as folhas, depois vem a espiga e, por fim, os grãos que enchem a espiga. 29Quando as espigas estão maduras, o homem mete logo a foice, porque o tempo da colheita chegou’. 30E Jesus continuou: ‘Com que mais poderemos comparar o Reino de Deus? Que parábola usaremos para representá-lo? 31O Reino de Deus é como um grão de mostarda que, ao ser semeado na terra, é a menor de todas as sementes da terra. 32Quando é semeado, cresce e se torna maior do que todas as hortaliças, e estende ramos tão grandes, que os pássaros do céu podem abrigar-se à sua sombra’. 33Jesus anunciava a Palavra usando muitas parábolas como estas, conforme eles podiam compreender. 34E só lhes falava por meio de parábolas, mas, quando estava sozinho com os discípulos, explicava tudo.

Artigo anteriorLiturgia Diária – 12 de junho
Próximo artigoLiturgia Diária -14 de junho
Artigos não assinados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui