Liturgia Diária – 1 de novembro

0
729

No Brasil: Segunda-feira da 31ª semana do Tempo Comum

Leituras da Missa (no Brasil)

Em Portugal: Solenidade de todos os Santos

Dedicada à Igreja Triunfante, isto é, a todos os santos e bem-aventurados que gozam da visão direta de Deus, no Céu. Ver: O amor é a ciência dos Santos

Leituras da Missa (em Portugal)

Santos em destaque

São Nuno Álvares Pereira (Nuno de Santa Maria), religioso (†1431). Condestável do Reino de Portugal, vencedor de muitas batalhas, no fim da vida distribuiu suas riquezas, abandonou o mundo e ingressou na Ordem Carmelita. Ver também: Pugnacidade e contemplação.

São Jerônimo Hermosilla, por Felix Ferrer – Catedral de São Domingos da Calzada, La Rioja (Espanha)

Santos Jerônimo Hermosilla e Valentim Bérrio Ochoa, Bispos, e Pedro Almató Ribeira, presbítero, mártires (†1861). Missionários dominicanos espanhóis decapitados em Hai Duong, Vietnã.

Beato Teodoro Jorge Romzsa, Bispo e mártir (†1947). Por ter conservado a fidelidade à Igreja, foi vítima de um atentado em Mukacevo, Ucrânia, e posteriormente, envenenado no hospital.

Beatos Pedro Paulo Navarro, sacerdote, Dionísio Fujishima e Pedro Onizuka Sandayu, religiosos jesuítas e Clemente Kyuemon, catequista (†1622). Queimados vivos em Shimabara, Japão, por ódio à fé cristã.

Beato Ruperto Mayer, presbítero (†1945). Sacerdote jesuíta encarcerado no campo de concentração de Sachsenhausen, Alemanha. Morreu em Munique, pouco tempo depois de ser liberado.

Beato Rainério de Arezzo, religioso (†1304). Franciscano do convento de Arezzo, Itália.

Ver todos os Santos deste dia no Martirológio Romano online

Leituras da Missa (no Brasil)

Primeira leitura: Rm 11, 29-36

Irmãos: 29Os dons e a vocação de Deus são irrevogáveis. 30Outrora, vós fostes desobedientes a Deus, mas agora alcançastes misericórdia, em consequência da desobediência deles. 31Assim são eles agora os desobedientes, para que, em conseqüência da misericórdia usada convosco, alcancem finalmente misericórdia. 32Com efeito, Deus encerrou todos os homens na desobediência, a fim de exercer misericórdia para com todos. 33Ó profundidade da riqueza, da sabedoria e da ciência de Deus! Como são inescrutáveis os seus juízos e impenetráveis os seus caminhos! 34De fato, quem conheceu o pensamento do Senhor? Ou quem foi seu conselheiro? 35Ou quem se antecipou em dar-lhe alguma coisa, de maneira a ter direito a uma retribuição? 36Na verdade, tudo é dele, por ele, e para ele. A ele, a glória para sempre. Amém!

Salmo responsorial: Sl 68(69), 30-31.33-34.36-37 (R. 14c)
R. Respondei-me, ó Senhor, pelo vosso imenso amor!

30Pobre de mim, sou infeliz e sofredor! *Que vosso auxílio me levante, Senhor Deus! 31Cantando eu louvarei o vosso nome *e agradecido exultarei de alegria! R.

33Humildes, vede isto e alegrai-vos: +o vosso coração reviverá, *se procurardes o Senhor continuamente! 34Pois nosso Deus atende à prece dos seus pobres, *e não despreza o clamor de seus cativos. R.

36Sim, Deus virá e salvará Jerusalém, +reconstruindo as cidades de Judá, *onde os pobres morarão, sendo seus donos. 37A descendência de seus servos há de herdá-las, +e os que amam o santo nome do Senhor *dentro delas fixarão sua morada! R.

Evangelho: Lc 14, 12-14

Naquele tempo: 12E disse também a quem o tinha convidado: ‘Quando tu deres um almoço ou um jantar, não convides teus amigos, nem teus irmãos, nem teus parentes, nem teus vizinhos ricos. Pois estes poderiam também convidar-te e isto já seria a tua recompensa. 13Pelo contrário, quando deres uma festa, convida os pobres, os aleijados, os coxos, os cegos. 14Então tu serás feliz! Porque eles não te podem retribuir. Tu receberás a recompensa na ressurreição dos justos.’

Leituras da Missa (em Portugal)

Primeira leitura: Ap 7,2-4.9-14

Eu, João, 2vi um outro anjo, que subia do lado onde nasce o sol. Ele trazia a marca do Deus vivo e gritava, em alta voz, aos quatro anjos que tinham recebido o poder de danificar a terra e o mar, dizendo-lhes: 3“Não façais mal à terra, nem ao mar, nem às árvores, até que tenhamos marcado na fronte os servos do nosso Deus”. 4Ouvi então o número dos que tinham sido marcados: eram cento e quarenta e quatro mil, de todas as tribos dos filhos de Israel. 9Depois disso, vi uma multidão imensa de gente de todas as nações, tribos, povos e línguas, que ninguém podia contar. Estavam de pé diante do trono e do Cordeiro; trajavam vestes brancas e traziam palmas na mão. 10Todos proclamavam com voz forte: “A salvação pertence ao nosso Deus, que está sentado no trono, e ao Cordeiro”. 11Todos os anjos estavam de pé, em volta do trono e dos anciãos e dos quatro seres vivos, e prostravam-se, com o rosto por terra, diante do trono. E adoravam a Deus, dizendo: 12“Amém. O louvor, a glória e a sabedoria, a ação de graças, a honra, o poder e a força pertencem ao nosso Deus para sempre. Amém”. 13E um dos anciãos falou comigo e perguntou: “Quem são esses, vestidos com roupas brancas? De onde vieram?” 14Eu respondi: “Tu é que sabes, meu senhor”. E então ele me disse: “Esses são os que vieram da grande tribulação. Lavaram e alvejaram as suas roupas no sangue do Cordeiro”.

Salmo responsorial: Sl 23(24),1-2.3-4ab.5-6 (R. cf. 6)

R. É assim a geração dos que procuram o Senhor!

1Ao Senhor pertence a terra e o que ela encerra, o mundo inteiro com os seres que o povoam; 2porque ele a tornou firme sobre os mares, *e sobre as águas a mantém inabalável. R.

3“Quem subirá até o monte do Senhor, *quem ficará em sua santa habitação?”4a“Quem tem mãos puras e inocente coração, *4bquem não dirige sua mente para o crime. R.

5Sobre este desce a bênção do Senhor *e a recompensa de seu Deus e Salvador”.6“É assim a geração dos que o procuram, *e do Deus de Israel buscam a face”. R.

Segunda leitura:1 Jo 3, 1-3

Caríssimos, 1vede que grande presente de amor o Pai nos deu: de sermos chamados filhos de Deus! E nós o somos! Se o mundo não nos conhece, é porque não conheceu o Pai. 2Caríssimos, desde já somos filhos de Deus, mas nem sequer se manifestou o que seremos! Sabemos que, quando Jesus se manifestar, seremos semelhantes a ele, porque o veremos tal como ele é. 3Todo o que espera nele purifica-se a si mesmo, como também ele é puro.

Evangelho: Mt 5, 1-12

Naquele tempo, 1vendo Jesus as multidões, subiu ao monte e sentou-se. Os discípulos aproximaram-se, 2e Jesus começou a ensiná-los: 3“Bem-aventurados os pobres em espírito, porque deles é o Reino dos céus. 4Bem-aventurados os aflitos, porque serão consolados. 5Bem-aventurados os mansos, porque possuirão a terra. 6Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados. 7Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia. 8Bem-aventurados os puros de coração, porque verão a Deus. 9Bem-aventurados os que promovem a paz, porque serão chamados filhos de Deus. 10Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos céus. 11Bem-aventurados sois vós quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo tipo de mal contra vós por causa de mim. 12Alegrai-vos e exultai, porque será grande a vossa recompensa nos céus”.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here