Através de sua maternal intercessão, Dona Lucilia tem levado muitas almas a compreender a bondade d’Aquele que, mais do que ela, deseja conceder aos homens valiosos e inesgotáveis tesouros.

 

A intercessão de Dona Lucilia tem sido um farol para numerosas almas que se encontram perdidas no mar tempestuoso da vida. Graças à sua valiosa ajuda e afável proteção, muitos de seus devotos podem mais facilmente compreender que para Deus nada é impossível.

Com efeito, aquela que soube haurir no pulsar do Sagrado Coração de Jesus a força necessária para fazer de sua vida uma constante manifestação da bondade divina, hoje tem aproximado inúmeras pessoas d’Aquele que “tanto amou os homens, e foi por eles tão pouco amado”, auxiliando-as a enfrentar as lutas e sofrimentos da existência terrena.

“Quem sabe se você rezasse a ela as coisas mudariam”

Da. Elma na área externa de sua casa, com uma fotografia de Da. Lucilia

Confortada pela dadivosa proteção de Dona Lucilia, Da. Elma Regina dos Santos, de Jacareí (SP), envia-nos seu depoimento, desejosa de manifestar sua gratidão pelos benefícios recebidos por intermédio de sua “amiga que mora no Céu”. Relata ela:

“Em meados de 2019 eu andava muito triste, com depressão, com a vida no marasmo, sem ter o que fazer. Só ia do serviço para casa, de casa para o serviço, e não sobrava dinheiro para nada. Eu precisava reformar o quintal da minha residência que estava muito feio, tinha só terra, mais nada.

“Um dia liguei para minha mãe e disse: ‘Mãe, minha vida está muito triste’. Ela me respondeu: ‘Olhe, eu recebi a Revista dos Arautos do Evangelho, na qual se fala de uma pessoa chamada Lucilia. Quem sabe se você rezasse a ela as coisas mudariam’. Então, pensei: ‘Ah, nada tenho a perder, vou rezar’”.

“Dona Lucilia, me tire dessa tristeza, me dê condições!”

Assim, seguindo o conselho de sua mãe, Da. Elma passou a rezar toda noite: “Dona Lucilia, me ajude! Dona Lucilia, me tire dessa tristeza, me dê condições!”

Entretanto, apesar de rezar insistentemente a essa generosa senhora, mais um contratempo veio pôr à prova a fé de Da. Elma: “Chovia muito, muito na minha cidade, caía uma tromba d’água. De repente, ouvi um barulho enorme na minha casa. Corri para ver: havia caído o muro de arrimo do meu quintal. Restavam só escombros”.

Da. Elma ficou ainda mais desanimada, diante desta trágica situação: “Eu não tinha dinheiro para pedreiro, para nada. Mal conseguia pagar as contas! Estava atolada em dívidas. Então, liguei desesperada para minha mãe: ‘Mãe, a senhora me disse para rezar, eu rezei e deu tudo errado, piorou a situação!’ Ela respondeu: ‘Imagine! Se ela não ia ajudar, também não iria fazer-lhe mal! Vamos confiar! Você não está rezando? Confie!’”

De fato, Dona Lucilia estava ajudando

Da. Elma continuou a pedir o auxílio de Dona Lucilia. E não tardou em constatar que suas orações já começavam a ser atendidas. Narra ela: “Passados dois dias, minha mãe ligou e disse: ‘Elma, você não paga a prestação da casa? A casa tem seguro. Ligue para a seguradora e peça para mandar alguém avaliar o que aconteceu”.

De fato, Dona Lucilia tinha já começado a ajudá-la: após a avaliação feita por um engenheiro da seguradora, Da. Elma pôde receber o valor do seguro e reconstruir o muro. Estava resolvido o problema que parecia ser insolúvel.

Entretanto, ela esperava que fosse atendido também seu primeiro pedido, o de obter os recursos para fazer adequadas instalações no quintal de sua casa e comprar alguns móveis. Para isso, era indispensável desvencilhar de alguns obstáculos o processo de aposentadoria de seu marido. Da. Elma já sabia onde encontrar a solução: “Como ainda faltava muito do que queríamos, comecei a rezar com mais força a Dona Lucilia, pedindo para meu marido conseguir se aposentar”.

Mais uma vez, o auxílio não tardou a chegar: o marido conseguiu a aposentadoria, o que tornou possível comprar os móveis e fazer no quintal todas as instalações desejadas. “Ficou tudo muito bonito”, diz a feliz beneficiária.

“Hoje sei que tenho no Céu uma amiga chamada Dona Lucilia”

Grata pelos benefícios recebidos, Da. Elma afirma: “Devo tudo isso a Dona Lucilia. Durante a construção do muro e as obras no quintal, tive problemas com pedreiros, com materiais… Mas todas as vezes que eu pedia a intercessão dela, do nada aparecia o pedreiro; do nada encontrávamos um lugar mais em conta para comprar o material. Conseguimos fazer um verdadeiro milagre em nossa casa. Somos muito felizes aqui e temos a casa dos nossos sonhos. Tudo foi obra de Dona Lucilia. Hoje eu sei que tenho no Céu uma amiga chamada Dona Lucilia”.

Desde então, Da. Elma não cessou de pedir auxílio à sua protetora, nem de propagar entre seus parentes e conhecidos o valor de sua jeitosa e maternal intercessão: “Tamanha é minha confiança em Dona Lucilia que, vendo meu irmão aflito, devido a um câncer no intestino que lhe trouxera grande dor e preocupação, disse-lhe: ‘Coloque a foto de Dona Lucilia debaixo do travesseiro, ela lhe ajudará’”. E já no dia seguinte um tranquilizador alento foi dado a seu irmão: ele amanheceu animado e decidido a lutar contra a terrível enfermidade.

Aos poucos, a confiança de Da. Elma vai beneficiando outros membros da família: “Minha irmã faz quimioterapia contra um câncer de mama e, desde que levou a foto de Dona Lucilia, diminuiu seu mal-estar, ela está animada e com esperança de cura”.

Da. Elma conclui seu depoimento com esta alentadora constatação: “Dona Lucilia é poderosa e realmente intercede por nós quando lhe pedimos com fé. Ela é minha amiga que mora no Céu e me ajuda o tempo todo!”

“Confiamos a resolução do problema exclusivamente a Dona Lucilia”

Da. Maria Cecília

Admirada da rapidez com que seu pedido foi atendido, escreve-nos Da. Maria Cecília Silva da Costa Custódio, de Cuiabá (MT), relatando uma graça recebida por intermédio de Dona Lucilia:

“Em 5 de abril de 2019, recebi a notícia de que uma amiga, Da. Elaine Bonfanti, estava gravemente enferma, internada na UTI, diagnosticada com derrame pleural e suspeita de gripe suína. Começamos então as orações… No dia 7, primeiro sábado do mês, confiamos a resolução desse problema exclusivamente a Dona Lucilia e prometemos rezar um Terço em agradecimento, assim que ela melhorasse”.

Da. Elaine

Não tardou Dona Lucilia a colocar seu alentador xale sobre as preces de Da. Maria Cecília e obter uma brusca mudança na situação da enferma: “No dia seguinte, recebemos a informação de que Da. Elaine havia melhorado subitamente. No dia 9 pôde ser transferida para o quarto. No dia 13 recebeu alta e foi para casa”.

Antes mesmo de se completar uma semana de seu pedido a Dona Lucilia, o problema estava resolvido!

Orações rapidamente atendidas

Tendo de realizar uma punção na mama direita, guiada por ultrassom, Da. Maria da Solidade Braúna Gomes, de São Paulo (SP), pediu a intercessão de Dona Lucilia, a fim de obter um bom resultado nesse exame.

E qual não foi sua surpresa ao tomar conhecimento de como suas preces foram rapidamente atendidas: “Ao iniciar o ultrassom, a médica informou que não seria mais necessária a punção, pois a alteração descrita no exame anterior não existia mais, havia apenas cistos simples”.

*     *     *

Junto ao Sagrado Coração Jesus, Dona Lucilia se dispõe a pedir coragem, tranquilidade e esperança para aqueles que a invocam, auxiliando-os na resolução de todos os problemas. Assim, ela tem feito com que muitas almas cresçam na confiança e no amor Àquele que, mais do que ela, pode conceder valiosos e inesgotáveis tesouros. 

 

“Bem-aventurados os mansos”

 

O pensamento, voltado para considerações elevadas, é notável no olhar. Ela demonstra possuir o bem-estar da virtude, da aceitação de um sofrimento vivido em paz.

 

Mons. João Scognamiglio Clá Dias, EP

 

Afotografia de Dona Lucilia reproduzida nesta página a apresenta no viço da mocidade, em seus últimos anos de solteira. Está num terraço, provavelmente da casa da fazenda Jaguary, em São João da Boa Vista, pertencente a seu pai, Dr. Antônio Ribeiro dos Santos.

Doçura, suavidade e bondade

O pensamento, voltado para considerações elevadas, é notável no olhar de Lucilia. A fisionomia denota a precoce seriedade de quem, no verdor da existência, já compreendeu até o fundo a vida, que a Salve Rainha qualifica, com bela força de expressão, de “vale de lágrimas”. Apesar disso, não há nela o menor sinal de desânimo, acidez ou amargura. Pelo contrário, acima de tudo transparecem a doçura, a suavidade e a bondade. Ela demonstra possuir o bem-estar da virtude, da aceitação de um sofrimento vivido em paz. Paz que, sem o perceber, ela irradia de modo discreto em torno de si.

Uma bem-aventurança, entre outras, vem à mente de quem analisa Lucilia nesta circunstância: “Bem-aventurados os mansos, porque possuirão a terra” (Mt 5, 4).

A ninguém é dado manter-se duravelmente numa vida virtuosa, sem o auxílio da graça divina. Vê-se por esta fotografia, na sequência das que a antecedem, o quanto vai sendo bem conduzida a vida interior de Lucilia, cada vez mais penetrada por uma terna devoção ao Sagrado Coração de Jesus e a sua Mãe Santíssima.

O Sagrado Coração de Jesus, devoção de toda uma vida

Foi na sua cândida juventude que Lucilia recebeu, de seu pai, a esplêndida e piedosa imagem do Sagrado Coração de Jesus que enorme papel desempenhará em sua vida interior, acompanhando-a até seu último sinal da cruz. Conservá-la-á sempre num singelo oratório de madeira, em seu próprio quarto. De origem francesa, foi comprada por Dr. Antônio na Casa Garraux, a maior livraria de São Paulo, que também vendia certos artigos europeus, como vinhos e imagens.

O intuito de estimular a piedade de Lucilia fora o motivo do gesto de seu pai. Com efeito, causava-lhe admiração vê-la todas as tardes rezar seu Rosário, apoiada no parapeito de uma janela que dava para o jardim dos fundos do palacete em que residia.

Ela reconhecia, admirava e adorava, através dessa imagem, o Sagrado Coração de Jesus, sempre em extremo bondoso, misericordioso, disposto a perdoar, mas profundamente sério! Transbordante de afeto, porém nunca sorrindo; manifestando sempre um quê de tristeza, de quem mede até o fundo a maldade dos homens, e muito sofre por causa disso. Daí o estar cercado seu Sagrado Coração por uma coroa de espinhos e transpassado pela lança de Longinos.

Os traços de sua fisionomia simbolizavam a doída queixa contida na frase famosa, dirigida por Nosso Senhor aos homens, por meio de Santa Margarida Maria Alacoque: “Minha filha, eis aqui o Coração que tanto amou os homens, e por eles foi tão abandonado!”

Pela devoção ao Sagrado Coração de Jesus, Lucilia desenvolveu ainda mais em sua alma o desejo de só fazer o bem. 

Extraído, com pequenas adaptações, de:
Dona Lucilia. Città del Vaticano-São Paulo:
LEV; Lumen Sapientiæ, 2013, p.88-93

 

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here