A Santa Igreja se ­serve das alegrias vibrantes e castíssimas da Páscoa para fazer brilhar aos nossos olhos, mesmo nas tristezas da ­situação contemporânea, a certeza triunfal de que Deus é o supremo Senhor de todas as coisas.

Cristo é o Rei da glória, que venceu a morte e esmagou o demônio. Sua Igreja é rainha de imensa majestade, capaz de se reerguer de todos os escombros, de dissipar todas as trevas, e de brilhar com mais luzidio triunfo no momento preciso em que parecia aguardá-la a mais terrível e irremediável das derrotas.

 Plinio Corrêa de Oliveira

 

Artigo anteriorComo uma árvore abatida pela tempestade
Próximo artigoLiturgia Diária – 2 de abril

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui